• Contactos

    MORADA:
    Quinta do Vale da Lama,
    EM534 Vale da Lama, Odiáxere
    8600-258 Lagos, Portugal

    CASA VALE DA LAMA
    Eco Resort
    Telf: 282 764 071
    Geral: info@valedalama.net
    Inscrições: registration@valedalama.net
    Voluntários: info@projectonovasdescobertas.org
    www.casavaledalama.com

    CAMPO DO VALE (PND)
    Telf: 282 792 673 e 960 387 350
    Email:
    info@projectonovasdescobertas.org
    www.projectonovasdescobertas.org

  • Formulário de Contacto

    Thanks!

    Obrigado

    Required fields not completed correctly.

  • Mapa de Localização

    COORDENADAS GPS
    37°08'26.3"N 8°37'57.7"W 37.140646, -8.632693

A Quinta

Contexto Biofísico e Territorial da Quinta
No extremo nascente do Município de Lagos, onde a linha de comboio cruza a Ria do Alvor, situa-se, na sua margem, a Quinta do Vale da Lama. Entre as montanhas da Serra de Monchique, o Oceano Atlântico e as manchas urbanas de Lagos e Portimão, a Quinta abrange 43 hectares de grande diversidade paisagística. Os seus terrenos têm história agrícola e de pastoreio, sendo abrangidos pela Rede Natura 2000, Rede Agrícola Nacional (RAN) e Rede Ecológica Nacional (REN). Aqui se herdam campos de laranjeiras, oliveiras, amendoeiras, alfarrobeiras, figueiras e alguns núcleos construídos que inspiram o crescimento de ecossistemas abundantes.

ZONEAMENTO

A Quinta do Vale da Lama desenvolve-se numa lógica de núcleos ou centros de atividades geridos por diferentes círculos da organização [Mapa 2 – Domínios da Quinta]. Os vários serviços e atividades ganham vida em distintas áreas da quinta, podendo-se considerar diferentes Zonas de Uso equiparadas ao conceito de Zonamento da Permacultura – da zona 0 à zona 5, isto é, das zonas de uso mais intenso às de menor intervenção. [Mapa 1 – Plano Geral de Zonamento]

Ler mais

Zona 0 e 1


Perto do topo da propriedade situa-se a área residencial, Zonas 0 e 1, constituída pela casa comunitária, infra estruturas de suporte associadas e jardins que envolvem a casa. É no Lama Village que vive a comunidade de trabalhadores e voluntários residentes na quinta.

Zona 2


A nascente deste núcleo estende-se a Zona 2, designada para a produção intensiva de alimentos, essencialmente para consumo na quinta (residentes, visitantes e aprendizes). Novas hortas são cultivadas em antigos pomares de citrinos para uma crescente produtividade e regeneração.

Zonas 3


Considerando Zonas 3 as designadas para fins comerciais, abrangem as áreas em que o contacto com o público é frequente, e a produção de alimentos é feita com menores necessidades de manutenção.Sensivelmente no centro da quinta, a Casa Vale da Lama, funciona como EcoResort, onde grupos, famílias e indivíduos são recebidos em diversos programas de estilo de vida saudável.Os Lama Gardens, entre o canal público e a estrada, suportam as atividades de Agricultura Regenerativa, onde estão a crescer as hortas pedagógicas, as florestas alimentares, a vinha, um figueiral e algumas áreas de pasto de Verão. Aqui também se faz a propagação de anuais e perenes na estufa e no viveiro florestal, e está a desenvolver-se a zona do processamento de alimentos.No Campo do Vale instala-se o Campus Educativo, onde o Projecto Novas Descobertas abre as portas a crianças, jovens e adultos para cursos, formações e diversas actividades na quinta.

Zonas 4

À volta destes núcleos estendem-se campos de produção e regeneração mais extensivos. Nas encostas noroeste e sul permanecem árvores de fruto mediterrâneas. São áreas a serem regeneradas e optimizadas com a ajuda de animais de pasto e novas plantações e estratégias de retenção de água na paisagem. Também nas terras-baixas, a parte nascente da quinta, estendem-se campos de produção de feno e cereais usados como pastagens de Verão. Estas são consideradas as Zonas 4.

Zonas 5

Zonas 5 são as reservadas à regeneração natural e à preservação da vida silvestre. A pequena porção de mata mediterrânea, na ponta sudoeste da quinta, e o sapal no extremo nascente, junto à Ria do Alvor, são as zonas da quinta de maior diversidade espontânea. São espaços em que nada ou muito pouco se intervém, propícios à contemplação da natureza no seu estado mais genuíno, e à observação dos padrões de crescimento emergentes na natureza.

Ao mesmo tempo que se define um plano de zonas de uso da quinta, para uma maior eficiência e uso de recursos mais sustentável, a magia acontece quando as funções dos espaços se fundem e toda a quinta se torna um lugar de experimentação, aprendizagem e contemplação em contacto com a natureza, consigo próprio, com a família e com a comunidade.

No Plano Geral de Zonamento podemos visualizar as zonas existentes e as que estão para emergir com a evolução do projecto. Projetos de uma nova zona residencial e administrativa, e uma área para processamento e venda de produtos estão a ser desenhados e investigados, para implementação a curto e médio prazo.

Ao mesmo tempo que se define um plano de zonas de uso da quinta, para uma maior eficiência e uso de recursos mais sustentável, a magia acontece quando as funções dos espaços se fundem e toda a Quinta se torna um lugar de experimentação, aprendizagem e contemplação em contacto com a natureza, consigo próprio, com a família e com a comunidade.

Mapa 1 – Plano Geral de Zoneamento

Mapa 2 – Domínios da Quinta

Pontos de Interesse Ecológico

A ocupação da quinta tem vindo a acontecer ao longo da história do projeto [Organização]. A estrutura biofísica do terreno, infra-estruturas existentes, fatores legais, o sonho dos fundadores e a criatividade dos colaboradores têm sido determinantes na definição das formas que os espaços tem vindo a ganhar e na vida que tem vindo a crescer no ecossistema.

Existem diversos pontos de interesse ecológico ao longo da paisagem da quinta, organizados em Pontos de Interesse Ecológico por temas: Eco-construção, Água, Jardins e Regeneração de Solos.

Mapa 3 – Pontos de Interesse Ecológico