Poda no Olival

Este ano tivemos o privilégio de ter connosco um grande sabedor de árvores, Peter Zinn, a cuidar da oliveiras da área noroeste da Quinta. O olival que já era bonito pela imponência das antigas árvores, tornou-se ainda mais bonito, agora mais acessível, e potencialmente mais produtivo quando chegar a colheita da azeitona, esperamos nós. E aprendemos tanto com a presença deste senhor e a sua ligação às árvores.

Fez-se a poda de limpeza dos ramos ladrões, em certos casos pequenos zambujeiros (oliveira selvagem) inteiros, ao redor dos troncos principais, podaram-se os ramos velhos, e os ramos que apontam direcções não favoráveis ao desenvolvimento da árvore ou às colheitas. Isto tornou a forma das árvores mais visível, verdadeiras esculturas naturais, e emergiram espaços para estar debaixo delas que não imaginávamos que existiam.

Para caminhar à sombra, tão desejável neste clima mediterrânico, para fazer um pique-nique ou até uma reunião de trabalho, ou para simplesmente contemplar a natureza e disfrutar da vida ao ar livre, e especialmente termos uma boa azeitona e um bom azeite, temos um olival renascido!